Orthodontic
Unipam Nota 5
Unipam Nota 5

Vereador reconhece que errou e publica nota

Segunda 25/03/2019 - Aislan Henrique
Fonte: Paranaíba Agora
Vereador reconhece que errou e publica nota

O presidente da Câmara Municipal de Rio Paranaíba, João Wilson de Almeida que na madrugada do último sábado foi conduzido pela Polícia Militar Rodoviária por embriaguez ao volante se pronunciou através das redes sociais na tarde deste domingo (24). Segundo o parlamentar, ele saiu de um bar em Rio Paranaíba aonde havia ingerido algumas cervejas num bar e foi para a rodovia.

Num determinado local, uma viatura da Polícia Militar Rodoviária passou por ele e retornou o abordando. Segundo o vereador, os militares o tratou com muita educação e solicitou que ele fizesse o teste do bafômetro, tendo o mesmo negado. Os militares então o comunicaram que se ele não realizar o procedimento, eles teriam que conduzi-lo até a Delegacia da Plantão em Patos de Minas.

De acordo com a nota divulgada por João Wilson, eles chegaram à delegacia por volta das 02h30 de sábado, onde após ele prestar esclarecimentos ao delegado de plantão foi estipulado uma fiança de 1 mil reais. O vereador então ligou para seu filho e seu irmão para que levassem o valor da fiança para que ele fosse liberado.

Ainda conforme o político, por volta das 05 horas ele já estava em casa. João Wilson admite que o erro foi grande e que ‘dirigir após consumir bebidas é crime, além de colocar a ele e demais usuários da rodovia em risco’. O chefe da casa legislativa ressalta ainda que os militares o trataram bem e ele tratou os militares com respeito, pois sabia que estava errado.

Facão, como é conhecido, encerra a nota dizendo que não houve truculência tanto por parte dos policiais quanto por parte do político e que houve carteirada, pois, segundo ele, os policias o conhecem.

Confira a nota na íntegra:

Na última sexta-feira estive até por volta da meia noite no bar do meu amigo Cairo da Dadá, ali consumi algumas cerveja, saí em meu carro e peguei a rodovia, em determinado local vi que a viatura da Polícia Rodoviária passou por mim, retornou e começou a me seguir, diante disto parei e fui abordado pelos policiais, os mesmos me tratou com muita educação e solicitou que eu soprasse o bafômetro, eu me recusei, neste momento os policiais me disseram que senão fizesse tal procedimento eles teriam que me apresentar à delegacia em Patos de Minas, aceitei e fui levado até a delegado. Chegando lá por volta das 02:30 da madrugada. Foi estipulada a fiança no valor de R$ 1.000,00 (mil reais), liguei para meu filho e meu irmão que levaram o valor estipulado, pagou e fui liberado, às 05:00 da manhã já estava de volta a minha casa.

Admito que o erro foi grande, dirigir após consumir bebidas é crime, além de colocar a mim e demais usuários da rodovia em risco, acatei a decisão dos policiais que em momento algum foram mal educados comigo e nem eu com eles, porque eu sabia que estava agindo errado, enfim eu ao tomar o volante após beber assumi o risco de ter problemas, e os tive, porém como a justiça dita as regras, eu as cumpri e estou tranquilo quanto a isso. Mais uma vez repito: não houve truculência nem de parte dos policiais e nem de minha parte, não houve carteirada, até porque os policiais me conhecem, os respeitei, acompanhei, e fiz tudo que a lei manda. Não estou aqui justificando o que fiz, estou aqui reportando e assumindo o meu erro.

Centro  Politécnico

Compartilhe


Comentários

Anuncie Aqui
Padaria Nova Viçosa
Conceito moda PLUS Size
MT Imports
Anuncie Aqui
Padaria Nova Viçosa
Conceito moda PLUS Size
MT Imports
Zeppelin Lanches